Processo Criativo Demônios em Alcantú

31 de maio de 2011

Quando rola um assunto sobre literatura e as pessoas descobrem que eu escrevo vem logo a pergunta: Mais da onde você tira tudo isso? Bem... Eu venho tentando responder esta pergunta há algum tempo. A verdade é que eu não sei exatamente de onde realmente saiu tudo isso. Voltando um pouco no tempo mais precisamente a um ano atrás quando tive a primeira idéia de libertar os demônios do inferno. O interessante é que a idéia se formou de forma bem precária  e pouco eu conseguia imaginar dela e onde aquilo me levaria. Pra começar a história não tinha nem nome, levei quase dois meses pra conseguir definir um nome. 
Hoje com o livro pronto e com várias dicas que recebi desde que comecei a me envolver com este mundo literário eu vejo que obedeci muitas regras que até então eu desconhecia, arrisco dizer que de forma inconsciente eu segui o caminho certo, rsrs. Hoje consigo entender o quão magnífico é o mundo dos contadores de histórias e concordo com o que muitos já disseram: é como brincar de Deus, são vidas em suas mãos, mas o mais interessante ainda é quando é quando aqueles que você julga ter total controle ganham vida própria e decidem fazer o que desejam com suas vidas. Essa é a pare mágica do mundo da escrita. Você chega ao final que você sonhou e planejou por várias vezes, mas os caminhos que cada personagem trilha é como se realmente eles soubessem o que estão fazendo. É como se estivessem realmente vivo. Demônios em Alcantú se apegou muito a isso já que o trabalha final não se aproxima nenhum pouco das anotações que eu fiz antes de começar a escrita. Tudo passou por uma grande evolução e a história foi se revelando aos poucos pra mim. Personagens que não eram nada, tornaram - se grandes personagens e outros que tinham tudo para ser os favoritos tornaram - se personagens pouco adoráveis (hehe'). Mas mesmo assim terminei a escrita com um sentimento de dever cumprido. Realmente D.A. é um filho pra mim e levei nove meses para concebe - lo (rsrsrs) e mesmo assim eu não dizer exatamente da onde surgiu a idéia do livro, só posso dizer que aconteceu e que me senti muito feliz a cada vez que sentava em frente ao meu notebook e colocava essa história maluca que não deixava minha cabeça descansar nenhum segundo. Então posso dizer que o processo criativo de Demônios em Alcantú foi o seguinte: um dia após o outro.. Cada vez que eu sentava a história fluia de forma mágica até que estava concluída, tirando é claro as semanas de bloqueio que male mal saiu um parágrafo, hehe. Então é isso: sem pesquisas. Apenas sentava e escrevia. 

Bem gente por hoje é só isso que eu trago, em breve quero trazer mais informações sobre Demônios em Alcantú e um pouco sobre os personagens... Um grande abraço
Até mais...

Comentários Comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

J. Henrique © Copyright 2010

©